Como assistir aos vídeos.

Para assistir aos vídeos, desligue ou ponha em pausa Canções para navegar, que se encontra logo abaixo.

CANÇÕES PARA NAVEGAR



SOLO SAGRADO DE HAKONE - JAPÃO

SOLO SAGRADO DE ATAMI - JAPÃO

SOLO SAGRADO DE KYOTO - JAPÃO

Seguindo o exemplo da natureza, onde tudo se desenvolve a partir de uma pequena forma ou de um pequeno modelo, Mokiti Okada (1882-1955), também conhecido como Meishu-Sama, iniciou em 1945 no Japão a construção de protótipos do Paraíso Terrestre, os quais chamou de Solos Sagrados. Estes locais caracterizam-se pela harmonia entre a beleza natural e a criada pelo homem. O objetivo de Meishu-Sama (que em português significa "Senhor da Luz") era deixar para a humanidade a base para a construção de um Mundo Ideal, consubstanciado na Verdade, no Bem e no Belo. Ele os estabeleceu nas cidades de Hakone, Atami e Kyoto, objetivando que, a partir deles, outros modelos pudessem ser construídos ao redor do mundo, como uma pedrinha que se joga no centro de um lago e vai formando círculos de pequenas ondas até chegar às margens.

MAPA DE ACESSO AO KANI JOHREI CENTER

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Culto às Almas dos Antepassados

Como me preparar para esse Culto tão Especial?
Em um de Seus Ensinamentos, Meishu-Sama diz:
“Nós, que vivemos atualmente, não somos seres surgidos do nada, sem relação com nada. Na verdade, representamos a síntese de centenas ou milhares de antepassados e existimos na extremidade desse elo. Somos, portanto seres intermediários de uma seqüência infinita, formando uma existência individualizada no tempo. Em sentido amplo, somos um elo da corrente que une os antepassados com as gerações futuras; em sentido restrito, somos uma peça como a cunha, destinada a firmar a ligação entre nossos pais e nossos filhos”.
Isso tem um profundo significado. Significa que estamos ligados por elos espirituais não só aos parentes e amigos vivos, mas também àqueles que se encontram no mundo espiritual. Por isso, tudo que fazemos de bom ou de ruim, levamos alegria ou tristeza, Luz ou máculas para nossos antepassados.
Graças aos nossos antepassados é que existimos hoje. Cultuando-lhes com Gratidão e enviando-lhes Luz pelos elos espirituais através de práticas altruístas, eles ganham permissão de servir no mundo espiritual e, quanto mais se elevam, mais ganham permissão de nos auxiliar na nossa missão.
Existe, segundo Meishu-Sama, grande diferença entre aqueles que em vida acumularam virtudes e aqueles que praticaram o mal: O primeiro espírito recebe de Deus no mundo espiritual, magníficas vestes, bela morada, e alimentos fartos, tornando-se habitantes do plano superior; ao passo que o espírito que acumulou muitas máculas, não tem liberdade, ficando confinado no local do seu aprimoramento.
Por isso, graça, proteção, não se pede a antepassado. Se ele tiver em local que não pode ajudar, o seu sofrimento será dobrado. Graça e proteção se pedem a Deus e vem através dos antepassados que estão em nível mais alto.
Para saber se nossos antepassados estão bem ou não, podemos ver também pelo nosso lar. Se há harmonia no lar, significa que eles estão felizes. Se eles estão felizes, estamos em harmonia no nosso lar.
“Se os parentes, amigos e conhecidos lhe oferecem cultos após a morte – Cultos feitos de coração, com toda sinceridade – e somam méritos e virtudes praticando o bem, fazendo feliz o próximo, a purificação do espírito desencarnado será acelerada. Por essa razão, a dedicação dos pais, a fidelidade do cônjuge, etc., aqui no mundo material, reveste-se em grande significado mesmo após a sua morte, e eles ficam muito contentes com os cultos feitos em sua memória”. – Meishu-Sama.



A importância do Sorei-Saishi:

Sorei-Saishi é o Ofício de Assentamento e Sagração dos Ancestrais, consiste em assentar e sagrar os espíritos das famílias dos membros da Igreja. Seu significado é da maior importância: é o caminho fundamental a ser trilhado pelo ser humano para alcançar a eterna salvação.
Inscrever os nossos antepassados no Sorei-Saishi significa deixá-los servir como membros no mundo espiritual. Significa também que o espírito assentado pelo Sorei-Saishi ganha uma divindade que vai lhe orientar no mundo espiritual.
Por isso, antepassados, principalmente aqueles que, não tiveram uma religião, ou não acreditam na vida após a morte, na maioria dos casos ficam perdidos no mundo espiritual a mercê de espíritos negativos que estão a espera de espíritos menos esclarecidos que estão perdidos no mundo espiritual.
Por isso quem não tem Sorei-Saishi ou está inativo precisa gerar essa permissão para seus antepassados, o quanto antes.
E se fez Sorei - Saishi, mas não acumulou virtudes – acendeu a “chama da salvação” – mas não levou Luz para eles pela prática de virtudes, significa que está mexendo com o mundo espiritual, dando esperança e não fazendo a sua parte.
Ex: Uma comunidade carente, se chega alguém dizendo que vai cuidar e não cuida, receberá sentimentos negativos como mágoa e até mesmo ódio.
Nós membros da igreja é a mesma coisa quando recebemos o Ohikari criamos uma esperança para todos os nossos antepassados, para a elevação de toda a nossa linhagem, para a elevação de toda nossa linhagem, para a salvação de muitos antepassados que estão em nível infernal e não agüentam mais sofrer, a salvação deles depende exclusivamente da nossa dedicação, mas quando por algum motivo deixamos ou esquecemos o nosso compromisso com eles, eles ficam chateados e reflete na nossa vida, no nosso lar através de conflitos.
“ - Podemos dizer que as pessoas que estão à nossa volta, são todos nossos antepassados. Por isso, se realmente quisermos servir aos nossos antepassados, devemos ser gentis e simpáticos com todos aqueles com quem nos encontramos, transmitindo-lhes nosso amor. E é dessa forma servindo às outras pessoas, que conseguiremos alcançar nossa felicidade. Os senhores compreenderam bem?
Nós que nos tornamos Messiânicos, temos que trabalhar também para quebrar as diferenças e desarmonia que existe em nossa família. Primeiro não tomando partido e segundo trabalhando para harmonizar a todos. Isso é o que os nossos antepassados esperam de nós como membros.
Pelos elos espirituais, pelo altruísmo, levamos Luz aos antepassados.
Quando praticamos virtudes sem alardes e vaidade, nós e nossos antepassados recebemos recompensa de Deus em forma de graças e proteção.
Ex: Tinha um discípulo de Buda que sonhou e viu sua mãe no inferno. Procurou o Mestre e ouviu dele: “Esqueça sua mãe e salve o maior número de pessoas que puder”.
Ele não entendeu a orientação, mas obedeceu.
Um ano depois, sonhou novamente com a sua mãe, agora, num lugar maravilhoso.
Compreendeu que, sua prática de virtude, salvara sua mãe.
Alguns ainda dizem: “Mas Ministro, por que tenho que assumir a herança ruim dos meus antepassados? O que eu tenho com isso? Não aceito!”.
Mas se o ancestral deixou herança material boa – casas, carro, dólares – será que ele não aceita?
É bom saber que também já fomos antepassados e muitas vezes deixamos herança espiritual muito pior para nossos descendentes.

Como cultuar meus antepassados?

No ensinamento “Dedicação monetária e a eliminação dos pecados”, Meishu-Sama diz o seguinte:

“Todos os fiéis possuem, espiritualmente, bastante dívidas. Não só da própria pessoa, mas dos antepassados também. Isso é, essa dívida significa máculas. Através de inúmeros sofrimentos - como a doença – a dívida está sendo diminuída. Por isso há o seguinte ensinamento da religião Oomoto: Todos possuem bastante máculas. Portanto, saldem as dívidas o mais rápido possível”. Logo, fazer dedicação monetária, significa diminuir na mesma proporção o pecado. Desde que não forcem a situação, é melhor que façam o máximo que puderem, pois a mácula será resgatada rapidamente. Procedendo assim, na mesma proporção o sofrimento diminui e, por outro lado os méritos aumentam.

Um dia o Rev. Watanabe nos orientou o seguinte:

- Quando você faz gratidão, donativo de agradecimento para Deus, quando faz mal feito, Deus por ser Deus, ainda entende a nossa ignorância e apego. Mas, os nossos antepassados não entendem não. Eles são como nós, só que estão no mundo espiritual. Sentem ciúmes como nós, sentem raiva; irritam-se como nós, enfim, têm as mesmas reações que nós, porque ainda possuem máculas. Por isso, eles esperam muito de nós; nosso esforço para agradecer bem uma vez por ano.
Isso quer dizer que, cultuar direito os seus antepassados é fazer o mesmo esforço que você faz para agradar aos vivos. Nós nos esforçamos para fazer festas, dar presentes no aniversário de nossos pais ou de nossos filhos? Para os nossos antepassados deve ser a mesma coisa. Se o pai for falecido pode fazer qualquer migalha, porque ele não vai vir reclamar?
Na verdade, tudo que acontece neste mundo é com a permissão de Deus e dos antepassados.
Quando cultuamos bem os nossos antepassados, além deles receberem muita Luz, alimentos, ficam felizes duplamente por poderem ajudar àqueles que estão precisando.
Portanto, se sabemos disso tudo. Se sabemos que vamos cultuar anualmente nossos antepassados, devemos nos preparar para isso.
O correto seria fazermos uma poupança e todo mês, depositarmos um valor de acordo com as nossas possibilidades para que no dia do Culto às Almas dos Antepassados fizéssemos um grande banquete e um grande presente para cada um deles.
Todos nós recebemos graças e milagres durante o ano, e isso se deve ao nosso esforço, nossa dedicação, e ao trabalho árduo de nossos antepassados e deveríamos também materializar nossa gratidão a eles, pois eles esperam que possamos agradecer a altura o esforço que eles fizeram. Por que a nossa gratidão se transforma em Luz e com isso eles se elevam no mundo espiritual e ganham permissão de ajudar também outras pessoas.
Ex; Conseguimos nos curar de alguma doença, resolução de um conflito, um novo emprego, aumento de salário, pagamento de dívidas, recebimento de heranças e etc...Será que estamos agradecendo a altura do que recebemos?
Meishu - Sama nos orienta que o tamanho da dívida é proporcional ao tamanho da graça recebida. Quando recebemos graça precisamos agradecer proporcionalmente, senão ficamos em dívida e repurificamos pela ingratidão.
Meishu - Sama também nos orientou sobre a necessidade de se espiritualizar os nossos bens materiais, agradecendo de acordo com a permissão que recebemos. Por que será que muitas pessoas estão perdendo o que já haviam conseguido? Por não agradecer a altura a graça que recebeu.
Fazer gratidão é permissão de Deus aos nossos antepassados não é qualquer pessoa que faz gratidão, Meishu – Sama orienta que tudo que existe é no mundo é de Deus, o Paraíso Terrestre já foi planejado por Deus; se não tiver permissão de contribuirmos, com a nossa gratidão Deus utiliza outras pessoas por isso não vamos perder essa permissão, vamos aproveitar enquanto podemos, pois senão Deus vai utilizar outras pessoas.
Ex: Exemplificando com o cultuar Antepassados, quando se preenche o formulário para cultuá-los, é como se estivéssemos preenchendo um cheque. Materialmente o fundo do cheque é dinheiro, mas espiritualmente o que dá lastro à solicitação são as práticas da fé (Johrei, encaminhamento, donativo, culto).
É como comida oferecida no Mitamaya (altar dos Antepassados), sem sentimento eles não comem.
Na inauguração do Solo Sagrado, por exemplo, tivemos Antepassados que não puderam entrar, tendo em vista os seus descendentes não terem lastro para gerar permissão. Resumindo é a soma de poder agradecer + acumular virtudes.

Um dia perguntaram ao Rev. Watanabe:

“Não tenho como fazer donativo, posso cultuar meus Antepassados assim mesmo?”

O Rev. Respondeu:

“- Não, não pode. Porque se o descendente tiver verdadeiro amor e gratidão por seus antepassados, eles mesmos (antepassados) arranjam o donativo. Isto é, sentindo o profundo amor do seu descendente, eles abrem portas, para que possamos agradecer de acordo com nossos sentimentos”.

Profundo, não é? Isto é espírito precede a matéria.
Havia também, na Igreja Santa Luiza, um pioneiro – vovô Rodrigues – que quando era perguntado:

Quanto devo fazer de donativo para cultuar meus antepassados?

Ele era curto e grosso:

“ Faça quanto você acha que seus Antepassados merecem, porque eles têm o descendente que merecem (você).”

É duro, mais é uma grande verdade.



Outro exemplo: No tempo de Meishu – Sama o Reverendíssimo Watanabe fazia uma reunião e dizia:

“ – Meishu – Sama precisa acabar de construir o Solo Sagrado, por favor se esforcem, que serão protegidos e abençoados.”

Uma senhora missionária, nesse dia passou por uma grande vergonha. Ela ficara viúva e sempre dizia que estava passando dificuldades financeiras e por isso nada podia doar. Nesse dia, quando ela repetiu a mesma coisa, seu marido incorporou e disse:

“ – Pare de mentir! Você recebe o meu seguro de vida e está muito bem! Fui eu que deixei para você, use a metade para me tirar do inferno. Dependo disso, pare de ser egoísta. Para não vir para onde estou.”



“_ Não podemos esquecer que cada um de nós, assim como todos os nossos Antepassados, já estivemos no mundo espiritual várias vezes, onde fizemos aprimoramentos e já encarnamos no mundo material por diversas vezes.
Portanto, há uma grande possibilidade de já nos ter nos encontrado em alguma de nossas encarnações. Podemos ter sido irmãos, pais e filhos, ou então, vivemos algum tipo de romance, tivemos algum relacionamento envolvendo ódio ou intrigas. Nada disso é impossível ter acontecido.”



O Rev. Nos conta o seguinte caso:



“_Uma família de cinco pessoas vivia tranqüilamente em uma cidade do interior. Até que um dia aconteceu uma tragédia. A família era composta pelo casal, um filho e duas filhas. Na manhã em que o rapaz completaria 21 anos de idade, ele se levantou, foi até a cozinha, pegou um facão e tentou esfaquear toda a família. Foi capturado pelos policiais, perambulando pela rua, totalmente fora de si. Depois que voltou a realidade, ficou se lamentando: - Não sei por quê fiz aquilo.
Este jovem era conhecido por ser muito amável, gentil, inteligente, enfim, uma ótima pessoa. Sua família também era muito afável e o lar era considerado perfeito. Foi um acontecimento sinistro, que confundiu, todas as pessoas; nem o próprio rapaz nem a polícia entenderam o motivo daquele ataque de histeria.
Por mais que o rapaz fosse submetido a testes psiquiátricos, não era encontrada nenhuma anomalia. Finalmente buscaram a parapsicologia, induzindo-o a uma regressão, através da hipnose. Durante o estado hipnótico, fizeram com que ele se reportasse a muitas gerações passadas e explicasse o que via. O que ele contou foi surpreendente:

Nenhum comentário:

26 PALAVRINHAS MUITO ÚTEIS NA OBRA DIVINA

26 PALAVRINHAS MUITO ÚTEIS NA OBRA DIVINA

1-SHINSENKYO-SOLO SAGRADO DE HAKONE-TERRA DIVINA;
2-ZUIUNKYO-SOLO SAGRADO DE ATAMI-TERRA CELESTIAL;
3-HEIANKYO-SOLO SAGRADO DE KYOTO-TERRA DA TRANQUILIDADE;
4-NOKOGUIRI YAMA-MONTE NOKOGUIRI;
5-MITAMA MIGAKI - POLIMENTO DA ALMA;
6-OMITIBIKI- ENCAMINHAMENTO;
7-KANSHA-GRATIDÃO;
8-KANSHA NO KOKORO-SENTIMENTO DE GRATIDÃO;
9-KYUDOSHIN- ESPIRITO DE BUSCA;
10-DAIJOO-AMPLO;
11-SHOJO-RESTRITO;
12-SHINJA-MEMBRO;
13-MISHINJA-FREQUENTADOR;
14-HAIJUSHIKI-CERIMONIA DE OUTORGA;
15-SEITI-SOLO SAGRADO;
16-SHUUKYOO-RELIGIÃO;
17-JOOKA-PURIFICAÇÃO-(DOENÇA,POBREZA,CONFLITO);
18-KISEKI-MILAGRE;
19-GOYOO-DEDICAÇÃO-SERVIR A DEUS;
20-GOHOOSHI-DEDICAÇÃO;
21-MIOSHIE HAIDOKU-LEITURA DE ENSINAMENTO DE MEISHU SAMA;
22-KENKIN-DONATIVO;
23-OTAMAGUSHI-DONATIVO;
24-OSONAEMONO-OFERENDAS;
25-DOKUSO-TOXINA;
26-KENSETSU-CONSTRUÇÃO;